Nos dias em que não há tempo para fazer o jantar ou não se conseguiu comprar fruta, não vem mal ao mundo por dar refeições preparadas.
Família

Os boiões de fruta ou de sopa fazem ou não mal aos bebés?

Há pais que juram a pés juntos que nunca deram um boião de sopa ou fruta industrial aos seus bebés. E chegam a olhar de lado para quem o faz. Só podem estar carregados de corantes e conservantes, defendem. Mas o que dizem os especialistas sobre as refeições industriais como iogurtes que não precisam de frigorífico, boiões de legumes com carne ou purés de fruta para beber?

A Sociedade Portuguesa de Pediatria (SPP) garante que “os boiões de comida para alimentação infantil são, regra geral, alimentos formulados a pensar nas necessidades das crianças”. “São produzidos por empresas especializadas em alimentação infantil que seguem regras de seguranças e adequação nutricional”, explica Rute Neves da Comissão de Nutrição da SPP.

Isto não significa que seja adequado fazer das refeições industriais o essencial da alimentação do bebé. Não que elas sejam prejudiciais na sua composição, mas antes porque se deve apostar na diversidade alimentar e dar a experimentar várias texturas às crianças. “Estas diferentes experiências facilitam a aquisição de hábitos alimentares saudáveis para o futuro. A utilização generalizada dos boiões dificilmente permite essas diferentes experiências”, explica a especialista.

Os portugueses (e os europeus em geral) têm esta consciência, já que é raro encontrar pais que alimentem exclusivamente os bebés com refeições industriais, como acontece noutros países como nos Estados Unidos. Deve ser motivo de orgulho esta cultura de cozinhar a comida do bebé em casa, mas os progenitores não se devem sentir culpados quando não o conseguem fazer.

Nos dias em que não há tempo para fazer o jantar ou não se conseguiu comprar fruta, não vem mal ao mundo por dar refeições preparadas. O mesmo se aplica a outras situações, como quando se está em viagem ou em qualquer outro momento em que não é conveniente levar comida de casa ou não se pode conservá-la no frigorífico.

Prazos de validade longos? O segredo está na fábrica

Os boiões de fruta ou de sopa fazem ou não mal aos bebés?A legislação portuguesa e europeia não permite a utilização de corantes nem conservantes nos produtos alimentares para os bebés. Os prazos de validade longos devem-se às técnicas de cozedura e de armazenamento.

“Os ingredientes passam por um processo de cozedura a vapor, em ambiente esterilizado, uma forma natural de conservação. Este processo permite que não sejam adicionados conservantes”, explicam os responsáveis da Nestlé, um dos principais produtores de refeições.

“A fruta ou a refeição preparada é colocada nos boiões, fechamo-los a vácuo com uma tampa limpa, e provida do som de segurança, e em seguida são submetidos a um tratamento térmico adequado. O som ‘plop’ que os pais ouvem ao abrir os boiões é a garantia da segurança do produto”, concluem.

Os produtores destas refeições garantem que os produtos dedicados aos mais novos são sujeitos a um controlo de qualidade muito superior ao dos que são vendidos para adultos. Ainda a Nestlé, por exemplo, assegura que são realizados mais de 100 testes ao longo do seu processo de fabrico.

Já quanto aos iogurtes que não precisam de frigorífico, mais uma vez é o processo de fabrico que permite que se conservem à temperatura ambiente. Também os iogurtes são sujeitos a um tratamento térmico que elimina quaisquer microrganismos e são fechados hermeticamente numa película de alumínio, permitindo que se conservem sem que precisem de estar no frigorífico ou conter conservantes.

O mesmo se passa com os boiões de legumes, carne e peixe. É importante, ainda assim, que os pais verifiquem na lista de ingredientes se estas refeições têm ou não adicionado sal, já que nem todas as marcas deixam de temperar as refeições. O melhor é seguirem os conselhos do médico assistente e verificarem se nos ingredientes de cada refeição está presente algum alimento desaconselhado à criança.

Comentários

comentários

Acerca do autor

Rua3

Resumimos o que não pode deixar de saber sobre a actualidade, contamos as histórias por trás das pessoas que se cruzam connosco, mostramos-lhe o que pode fazer, ver e ouvir.

2 Comentários

Comente aqui

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *